Café, Campus Party, Estudo e Novas ideias!

Após ter sido apresentado a bases teóricas muito relevantes durante o curso de Design de Interação no NIC (Núcleo de Interfaces Computacionais) da UFES (Universidade Federal do Espirito Santo), entendi que era necessário um tempo para estudar, refletir, entender e conhecer melhor esse universo que me cativa cada vez mais. Entendi, que depois de um “reboot”, precisava de um “Upgrade”.

Nesses 2 meses de estudo, empirismo, pesquisa e reflexão me inscrevi no curso de Arquitetura da informação no instituto Faber-ludens e fui a 5º Edição da Campus Party Brasil. Nessa edição da Campus, tive contato com: Edu Agni especialista em design de interação que já vinha acompanhando, Gonçalo Ferraz do instituto Faber-Ludens, Augusto de Franco Pesquisador da área móvel e interatividade, pessoal do Estúdio PopUp Design, Agência Loduca, Daniel Rocha Gerente de Ecossistema e Serviços da Nokia Brasil, equipe da agência mobie Follow The Queen e muitas outras pessoas, algumas de outras áreas, mas que falaram de coisas relacionadas a interface, mobilidade ou ainda usabilidade.

Essa contato / experiência mostrou (para minha felicidade) que estou no caminho certo, e me empolgou ainda mais. Neste post, além de falar um pouco dessa minha experiência durante estes dois meses, vou contar um pouco como foram as palestras e debates por lá, dignas de muito café e interatividade, abrindo a temporada 2012 de post’s com uma nova safra, renovada!

Relação Homem x Tecnologia

No debate com o pesquisador da área móvel, Augusto de Franco, pude confirmar que a tecnologia existe para suprir nossas demandas, e que a evolução dela ocorre devido a reestruturação da sociedade, novas demandas, novas necessidades que precisam ser atendidas. A tecnologia se moldou para ser interativa no intuito de suprir essa nova organização, sendo apenas uma ferramenta para aproximar, facilitar, distribuir e atender essas novas necessidades. Resumindo, não é a tecnologia que dita o comportamento humano, e sim o comportamento humano que dita como a tecnologia deve se comportar, se adequar.

Smartphones, tablets, notebooks, computação em nuvem são apenas estruturas, canais que facilitam a relação inter-pessoal.

Interfaces

Unanimidade: as interfaces tendem a se tornarem cada vez mais invisíveis, com a finalidade de diminuir o ruído, permitindo a imersão (lembram dela?) do usuário de uma forma mais plena. O kinect, por mais que ainda possa parecer um instrumento de entretenimento, é muito mais e começa a ser estudado para esse direcionamento. Gonçalo Ferraz, disse ainda que a computação em nuvem estará cada vez mais presente em nosso cotidiano, tudo vai se conectar, reforçando o que o Augusto de Franco tinha dito em um debate anterior: “A Sociedade é em rede”.

Daniel Rocha, da Nokia, explicou um pouco do conceito por trás da interface “Metro” do Windows phone 7, que reflete o que falamos acima, através de um design centrado no usuário e inspirado em placas de sinalização de metrôs, pontos de táxi e ônibus, busca ser minimalista o suficiente para que o usuário se preocupe em realizar suas atividades e não em utilizar o aparelho.

 

Ocorreram palestras que afirmaram que a internet estará integrada as coisas, até o físico Michiu Kaku, disse que a tecnologia será uma força onipresente, ela estará presentes principalmente em óculos ou lentes de contato.O bacana é que essa tendência pode ser percebida por pessoas de áreas de atuação diferentes, isso foi muito empolgante.

Edu Agni, por outro lado, realizou uma grande palestra sobre Design Emocional, utilizando diferentes referências (sim Donaldo Norman estava entre elas). Este conceito pode ser facilmente aplicado para melhorar a experiência do usuário e gerando um sentimento que vai além da facilidade de uso, mas traga um retorno que ele levará consigo por um bom tempo.

Inovação

Uma feira de tecnologia sem inovação não pode né? Dentre as que eu achei mais interessante, foi ficar sabendo da existência de um protótipo funcional de um aparelho Nokia com tela flexível, segundo Daniel Rocha, o mercado ainda não esta pronto para esse tipo de produto, mas em breve ele será exibido no Brasil. Acho que isso revela uma tendência muito forte, ao menos para os aparelhos pessoais, que em minha opinião antes de se tornarem ferramentas mais “invisíveis” irão passar por um processo de encolhimento da tela e serão mais fáceis de serem carregados e utilizados durante o dia a dia, as telas flexíveis refletem essa necessidade.

Telas pequenas → Telas Grandes → Telas Maiores Ainda → Telas Menores/Flexíveis → Invisíveis

 Senti um pouco de falta, de informações sobre os novos navegadores, o Firefox 10 esta com umas novas ferramentas muito interessantes, como por exemplo, a visualização 3D e em camadas de todas as páginas do site. Eles estão buscando cada vez mais se aproximar dos outros navegadores com a finalidade de diminuir a diferença entre eles.

Os navegadores dos dispositivos móveis, além de gerar um custo muito maior tem essas diferenças ressaltadas, o que vem dificultando o desenvolvimento de soluções web mobile. Talvez com um amadurecimento maior das Medias Queries isso possa ser solucionado, ou ao menos melhorado.

Coisas Legais

A palestra com o responsável pela digamos assim, criação do Angry Birds, Julien Fourgeaud foi algo bem legal de se ver, bem como a conversa que envolvia “O Bairrista”, que foi bem legal. Fora isso, tinha por lá vários simuladores, stands para #gamers e vários gabinetes bem diferentes, dos quais eu me lembro mais do Iron Men, Coringa e Poderoso Chefão.

Conclusão

2012 promete ser um ano repleto de novidades, competitividade de mercado e inovações, as tendências estão se tornando cada vez mais fortes saindo de um plano conceitual para um outro de prototipagem, e nós, como designers de interfaces, interação devemos acompanhar e estudar essas mudanças na forma de comportamento entre as pessoas, entender como a sociedade em rede funciona, interage, compartilha e distribui e ainda entender como isso se reflete nas tecnologias.

Anúncios

5 comentários

  1. joaobona · fevereiro 14, 2012

    Muito bom Gabriel!!! Da próxima vez vamos todos!!!

    Abraço.

  2. Gabriel Pinheiro · fevereiro 14, 2012

    Obrigado João!!

    Vamos sim, vocês vão gostar muito de lá!!

    Abraço.

  3. Gabriella Bee · fevereiro 16, 2012

    Li. =)

    Muito bom o post.

    Tbm quero ir ano que vem. =D

  4. Michael Richard · março 20, 2012

    Muito bom Gabriel!
    Parabéns pelo blog.
    Compartilhamos a mesma jornada de reflexão e compreensão desse universo e acabamos nos encontrando no curso de Arquitetura da Informação na Faber-Ludens, buscando não só o conhecimento e sim novas relações.
    Tbm gostaria de ir ano que vem. xD
    Abraço.

    • Gabriel Pinheiro · março 21, 2012

      Obrigado Michael!!

      Com certeza, vamos trocando informação e conhecimento.

      Vale a pena conhecer a Campus Party!!

      Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s